Entre os diversos agentes de risco existentes em áreas ocupacionais, os gases são sem dúvida o maior desafio do profissional de segurança. A maior parte dos gases nocivos são incolores e inodoros, e são encontrados em diversas etapas produtivas de quase todos os ramos industriais. Alguns usados como matéria prima, outros são produtos finais ou subprodutos remanescentes do processo.

A NR-15 – ATIVIDADES INSALUBRES, é a norma que regulamenta os níveis de exposição ocupacional de agentes nocivos à saúde. Os limites de exposição de gases estão estipulados no anexo 11 – AGENTES QUÍMICOS CUJA INSALUBRIDADE SÃO CARACTERIZADA POR LIMITE DE TOLERÂNCIA E INSPEÇÃO NO LOCAL DE TRABALHO.

Uma atmosfera segura é compreendida pela seguinte condição:

78,0 % de Nitrogênio

20,9% de Oxigênio

1,0 % de Argônio

0,1 % de outros gases

Essa é a composição do ar que respiramos. Qualquer alteração dessa composição é compreendida como uma situação de risco.

Em termos de segurança ocupacional, podemos classificar pela os gases da seguinte forma:

 

TÓXICOS (ex. CO, H2S, SO2, CL2, NH3 etc.) – Podem ser definido como um composto, que quando inalado, ingerido ou absorvido em contato com a pele reage quimicamente com nosso organismo, provocando desde uma simples irritação até a morte. Em ambientes ocupacionais industriais muitas vezes a exposição a gases tóxicos é quase que corriqueira ao trabalho executado. Nesses casos é necessário garantir que a exposição não exceda os valores de segurança.

Leva-se em consideração:

– a concentração do gás (RISCO IMEDIATO)

– o tempo de exposição ( EFEITO ACUMULATIVO)

Em equipamentos detectores de gases são configurados 3 alarmes para o limites de exposição à gases tóxicos:

– 1º Limite instantâneo – Alarme determinado quando a concentração alcança o 1º limite configurado.

– TWA (Time Weighted Average) – Concentração média ponderada admitida exposição ao gás durante 8 horas consecutivas, sem causar danos à saúde.

– STEL (Short Term Exposure Limit) – Concentração máxima admitida para a exposição ao gás durante 15 minutos consecutivos, sem causar danos a saúde.

Podemos citar como exemplo o H2S:

Limite Instantâneo: 16 ppm

TWA: 8 ppm

STEL:  10 ppm

EFEITO DO H2S vs TEMPO

Nenhum Efeito (8 ppm x 8 horas);

Irritação moderada nos olhos e garganta (50 a 100 ppm x 1 hora);

Forte irritação (200 a 300 ppm x 1 hora);

Inconsciência e morte por paralisia respiratória  (500 a 700 ppm x 1,5 hora);

 

ASFIXIANTES: São gases inertes, porém quando em altas concentrações ocupam o lugar do oxigênio provocando asfixia. Concentrações de oxigênio abaixo de 19,5%v/v podem causar:

• Alteração da respiração e estado emocional, fadiga anormal em qualquer atividade ( entre 12% v/v e 16% v/v);

• Aumento da respiração e pulsação, coordenação motora prejudicada, euforia e possível dor de cabeça (entre 10% v/v e 12% v/v);

• Náuseas, mobilidade limitada, possível inconsciência podem chegar a colapso se não houver socorro ( entre 6%v/v e 10% v/v);

• Parada respiratória seguida de parada cardíaca, levando a óbito em minutos (<6% v/v).

Exemplos de gases asfixiantes:

Nitrogênio – N2

Dióxido de Carbono – CO2

Argônio – Ar

Além da presença de gases asfixiante, a deficiência de oxigênio pode ser causada também nas seguintes situações:

Combustão de substâncias inflamáveis em ambientes com pouca ventilação – (solda oxi-acetilênica, corte oxi-acetilênico, estanhagem entre outros)

Reações químicas de processos industriais ou naturais – (Oxidação de superfícies, secagens de pinturas).

Ação de bactérias – (Fermentação de materiais orgânicos em decomposição).

Respiração humana – ( Trabalho pesado de pessoas por longo período em espaços confinados).

 

INFLAMÁVEIS: Gases líquidos e inflamáveis são substâncias que misturadas ao ar e recebendo calor apropriado entram em combustão.

Para que ocorra tal processo, são necessárias 3 condições:

• Presença de gás em quantidade suficiente;

• A presença de ar em quantidade suficiente;

• A presença de uma fonte de ignição;

Gases inflamáveis são detectados através do percentual do Limite Inferior de Explosividade, usualmente conhecido pelas siglas %LIE ou %LEL. Cada gás possui o seu próprio LIE, dado pela sua concentração ideal a mistura ar+combustível inflame.

Por exemplo, o gás Metano – CH4, cujo LIE é de 5% v/v, ou seja, num ambiente com 100% de ar atmosférico, basta 5% de Metano para que haja uma explosão. Exemplos de gases inflamáveis e seus respectivos LIE:

GÁS FÓRMULA LEL
Monóxido de Carbono CO 12,5
Metano CH4 5,0
Pentano C5H12 1,4
Estireno C6H5CHCH2 0,9

Produtos Relacionados

Rua Padre João, 444 - Sala 86

Penha de França

São Paulo - SP

CEP 03637-000

+55 (11) 3530-2850

+55 (11) 989-646-152

lel.ambiental

Segunda à Sexta: 08:30 - 17:30

Siga-nos

Newsletter

Contact Person Envie um WhatsApp!
Inscreva-se em NossaNewsletter

Inscreva-se em NossaNewsletter

Cadastre-se em nossa lista para receber as últimas notícias e atualizações de nossa equipe. Não se preocupe, somos contra SPAM ;)

Parabéns! Você se inscreveu com sucesso!

Share This

Compartilhe!

Compartilhe com seus amigos!!